ActionAid is a global movement of people working together to further human rights and defeat poverty for all.

O que fazemos

 

Na ActionAid Moçambique trabalhamos com dedicação.

A ActionAid Moçambique é uma Organização Internacional Não-governamental anti-pobreza, que trabalha em Moçambique desde 1988, aliando-se às pessoas pobres e excluídas. Trabalha nas províncias de Cabo Delgado, Nampula, Zambézia, Inhambane, Gaza e Maputo em três prioridades estratégicas: (1) Direitos das Mulheres e Igualdade de Género; (2) Democracia Participativa e Acesso aos Direitos e Serviços Básicos; e (3) Alternativas Económicas para as Mulheres, Jovens e Grupos Vulneráveis.

Procuramos e propomos soluções sustentáveis para pôr termo à pobreza através do melhoramento das capacidades dos nossos parceiros na promoção da mudança social.

As nossas intervenções têm registado grande impacto na vida das pessoas que vivem em situação de pobreza. Em 2011 realizámos, pelo quarto ano consecutivo, a Conferência Nacional da Rapariga e lançámos Fórum de Reflexão sobre gravidez e casamento precoce realizado no dia de 30 Novembro de 2011 em parceria com o grupo de comunicação social "Soico" (Stv e jornal “O País”) que resultou no governo se comprometer em rever o despacho ministerial 39/2003.

 

  •  

    “Até 2017, pelo menos 118.767 sujeitos de direitos vão testemunhar o aumento da produção e produtividade nas áreas da sua escolha através do acesso e controlo da terra e outros recursos produtivos, bem como através da prática da agricultura sustentável. Estes são os desafios a que a ActionAid Moçambique se propõe a cumprir”.

     

    É urgente posse de terra pelas mulheres (DUAT)
  • “Até 2017, em Moçambique, queremos garantir que pelo menos 71,260 mulheres, 29,245 crianças e 1,195 raparigas têm garantido um ambiente livre de violência e abuso sexual que lhes permita adquirir conhecimento e habilidades vocacionais que as engajar-se no diálogo sobre políticas e mobilização de recursos para desenvolver alternativas socioeconómicas”.

    As raparigas moçambicanas lutam pelos seus direitos!
  •  

    “Até 2017, os sujeitos de direitos, em pelo menos 13 distritos, vão ver melhorado o acesso aos serviços públicos de qualidade - que respondem à igualdade de género - através da participação activa de 120,940 sujeitos de direitos nos processos de tomada de decisão e em fóruns que exigem prestação de contas e transparência”.

     

    Acreditamos numa governação justa e responsável!